Fundador

padre
Padre Marcio Alexandre Vignoli, presbítero da Arquidiocese de Florianópolis-SC, nasceu em 20 de agosto, dia de "São Bernardo Abade", na cidade de Camboriú-SC. Seu nascimento foi na casa dos avós maternos, ao som do repicar dos sinos da Matriz do Divino Espírito Santo, e das Ave-Marias rezadas com devoção por seu avô Alicio.
Padre Marcio Alexandre Vignoli, presbítero da Arquidiocese de Florianópolis-SC, nasceu em 20 de agosto, dia de "São Bernardo Abade", na cidade de Camboriú-SC. Seu nascimento foi na casa dos avós maternos, ao som do repicar dos sinos da Matriz do Divino Espírito Santo, e das Ave-Marias rezadas com devoção por seu avô Alicio.
Sua origem foi muito simples e pobre. O primeiro filho do jovem casal Paulo e Maria Aparecida, que aguardavam há quatro anos um bebê. Sua mãe era muito doente e foi submetida a 9 cirurgias, para a retirada de um câncer de mama. Nas últimas cirurgias, já estava gerando seu primeiro filho.
Viveu com simplicidade, na pacata Camboriú da década de 70. Sua espiritualidade e religiosidade foram tecidas por seus avós maternos, fidelíssimos à Igreja. Desde muito cedo dizia, "quero ser padre", e com os avós "brincava de Missa". 
Estudou o primário e o ginásio no Colégio Estadual Professor José Arantes.
Sua Paróquia foi a do Divino Espírito Santo, onde bem cedo começou a "ajudar" como coroinha e a partir daí, se engajou sempre mais nas atividades da Paróquia: grupos de novena, catequese, liturgia, clubinho vocacional, etc.
Sempre foi muito criativo e disponível, características próprias do Carisma Divino Oleiro.
Para poder ingressar "mais cedo no seminário" e cativado pelas Irmãs Catequistas Franciscanas, ingressou no Seminário São Francisco de Assis, em Ituporanga, no ano de 1986 com 15 anos, para cursar a 8ª série. 
De 1987 a 1989, cursou o segundo grau em Agudos-SP, no Seminário Santo Antonio; Em 1990, ingressou no noviciado Franciscano em Rodeio-SC, permanecendo até o final de outubro quando, em meio a grande crise vocacional, foi demitido do noviciado. Um tempo de muita dor.
Mas logo no mesmo ano, foi acolhido pelo então Pároco de Camboriú, Padre João Elias Antero, que o encaminhou para o Seminário Arquidiocesano de Azambuja. Assim, entre 1991 e 1993, cursou Filosofia; depois, de 1994 a 1997 em Florianópolis, cursou Teologia no Instituto Teológico de Santa Catarina - ITESC, morando no Seminário Teológico "Convívio Emaús".
Padre Marcio foi ordenado diácono no dia 15 de fevereiro de 1998, na Paróquia Santo Antonio - Campinas - São José/SC, pela imposição das mãos de Dom Vito Schillickmann. Foi ordenado presbítero em 16 de maio, na sua cidade natal, Camboriú, pela imposição das mãos de Dom Eusébio Oscar Scheid.
Seu lema de ordenação sacerdotal é: "Eu me consumo de ardente zelo pelo Senhor Deus dos Exércitos", I Reis,19.